Entenda as principais diferenças entre manutenção preventiva e corretiva

7 minutos para ler

A gestão de manutenção se tornou um processo estratégico para as empresas, especialmente na produção industrial. Um trabalho bem-feito é capaz de potencializar os resultados, sobretudo no que diz respeito ao aumento da produtividade dos equipamentos. Entretanto, sua eficiência passa diretamente por uma boa aplicação de manutenção preventiva e corretiva.

Ainda assim, alguns setores têm deixado de lado a separação entre os processos — e isso pode trazer resultados negativos. Empresas que usam equipamentos tão sensíveis como as balanças de precisão, por exemplo, dependem de um alto nível de confiabilidade, algo que pode ser comprometido pela falta de ações preventivas.

Pensando nisso, falaremos aqui sobre as principais diferenças entre manutenção preventiva e corretiva, os problemas relacionados à falta de uma delas e os benefícios de adotá-las corretamente. Então, vamos lá!

As diferenças entre manutenção preventiva e corretiva

O objetivo da manutenção é, em última instância, otimizar o desempenho da organização como um todo, garantindo que os equipamentos tenham disponibilidade, segurança e eficiência. Nesse sentido, os diferentes tipos de manutenção funcionam em conjunto.

Entretanto, cada um tem sua natureza própria: suas metas, planejamento e estratégias de execução. Veja como isso acontece na prática.

Manutenção corretiva

A manutenção corretiva, por definição, é a intervenção realizada para corrigir algo que já falhou, quebrou ou apresentou um problema qualquer. No caso de equipamentos sensíveis, como a balança de precisão, ela costuma ser feita fora da empresa, já que é preciso contar com uma equipe especializada e ferramentas específicas para realizar o serviço.

O processo envolve, por exemplo, uma análise das peças, a fim de identificar a causa da falha. Depois, é feita a substituição de peças, limpeza técnica, ajuste completo de todos os parâmetros de pesagem e em alguns casos, uma nova compensação de temperatura em câmara climática.

Manutenção preventiva

O objetivo específico da manutenção preventiva é manter a eficiência de cada equipamento em um nível preestabelecido. Grosso modo, ela funciona por meio de intervenções periódicas: são feitas uma série de checagens de acordo com um cronograma. A frequência de execução, por sua vez, depende das necessidades específicas de cada equipamento em função da forma de utilização, ambiente no qual a balança está exposta, tipo de produto pesado e nível de criticidade do processo.

No caso das balanças de precisão, o intervalo tende a ficar entre seis meses e um ano de uso. A variação acontece devido a diferentes fatores. A frequência é maior, por exemplo, em áreas onde o equipamento é exposto a um volume maior de sujeira gerada pelo próprio processo produtivo ou pela própria “agressividade” do produto.

Na manutenção preventiva das balanças, a equipe também faz uma limpeza técnica, além de ajustes completos do sistema mecânico e duas calibrações: uma antes e uma depois do serviço. Eventualmente, alguns problemas não podem ser resolvidos nesse processo, mas são registrados para que uma manutenção corretiva seja agendada.

Vale destacar que a ação preventiva pode ser feita localmente, sem a necessidade de transportar as balanças até o provedor do serviço.

Os impactos da falta de manutenção preventiva em balanças de precisão

É possível notar uma tendência de crescimento no serviço de calibração de balanças, sobretudo pelo fato de que cada vez mais empresas adotam padrões internacionais de qualidade. Entretanto, na via contrária, a manutenção preventiva vem sendo deixada de lado.

O motivo é que muitas empresas acreditam que a calibração substitui o serviço — o que é um erro e traz consigo uma série de problemas. Afinal, uma balança que fica muito tempo sem manutenção, limpeza e ajuste tende a apresentar desvios e consequentemente, desconfiança sobre os resultados das suas medições.

Independente do tipo de balança, não fazer uma manutenção preventiva pode comprometer a vida útil do equipamento e a confiabilidade da pesagem. Empresas que trabalham com componentes químicos, sal ou condimentos, por exemplo, manipulam produtos corrosivos que podem se acumular na balança, comprometendo seu funcionamento.

Nesse sentido, nada substitui a manutenção preventiva como estratégia para evitar problemas. Em muitos casos, se a preocupação só existe quando surge a necessidade de uma intervenção corretiva, o aparelho pode estar totalmente comprometido.

Impactos na produção

Não podemos ignorar o fato de que as balanças fazem parte de um processo de produção mais amplo. Logo, se elas apresentam algum problema, surge um gargalo na fábrica. Para ir além, uma parada não programada traz consigo um custo elevado, já que pode impactar desde o tempo ocioso da produção até o atraso na entrega do produto final.

O valor do prejuízo é difícil de prever — o que nenhuma empresa quer que aconteça. Em casos onde o controle das balanças é negligenciado, a mesma pode apresentar um defeito ou erros não identificados. Supondo que isso seja percebido depois de meses, é quase impossível calcular o prejuízo gerado ao longo desse período, caso a rastreabilidade do processo não consiga ser comprovada.

As vantagens da manutenção preventiva e do apoio de um especialista

Outro tipo de situação que nem toda empresa leva em consideração é o tempo parado do equipamento. No caso de aparelhos sensíveis e caros, como as balanças de precisão importadas, isso pode comprometer seu funcionamento. A manutenção preventiva ajuda a evitar esse tipo de prejuízo.

Outro ponto importante é que ela ajuda a manter a adequação às normas e regulamentações, evitando autuações de órgãos fiscalizadores em suas auditorias. E para evitar que esse tipo de cenário se torne realidade, nada substitui uma parceria com quem mais entende do assunto.

Os benefícios de contar com um especialista em manutenção

Tratando-se de equipamentos tão sensíveis, é fundamental contar com uma empresa qualificada e experiente para realizar a manutenção preventiva e a calibração das balanças de precisão. Isso pode ser verificado tanto nos serviços oferecidos, quanto na documentação emitida após o serviço.

A KN Waagen, por exemplo, emite um certificado rastreável chamado certificado de ajuste, com padrões e métodos utilizados. Se sua empresa preferir, pode fazer em conjunto com a manutenção, uma calibração acreditada e pode receber também o certificado de calibração da Rede Brasileira de Calibração (RBC).

Com 24 anos de experiência no mercado, vale ressaltar que  a KN Waagen atende 100% dos fabricantes de balanças — desde as mais antigas, com mais de 50 anos, até as mais modernas. Elas ainda podem ser de diferentes tipos, como:

  • balanças micro e ultramicro 
  • balanças comparadoras;
  • balanças analíticas;
  • balanças de precisão;
  • balanças industriais;
  • sistemas, tanques, reatores.

Por isso, se sua empresa quer garantia de qualidade no serviço para reduzir os custos operacionais, procure quem mais entende do assunto. Assim, você pode aliar manutenção preventiva e corretiva para aumentar a eficiência da sua empresa e ter mais confiabilidade no uso das balanças de precisão.

Vale ressaltar também que, a KN Waagen foi o primeiro laboratório de calibração de Massa (Balanças e Pesos Padrão) acreditado no Brasil pela Cgcre/Inmetro de acordo com os requisitos da norma ISO 17025 e pertencente à RBC (Rede Brasileira de Calibração).

Se quer saber mais detalhes sobre a manutenção, entre em contato com a KN Waagen e fale com quem é referência no assunto!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-