Entenda as diferenças entre verificação, calibração e ajuste de balanças

8 minutos para ler

O uso de balanças na indústria e nos laboratórios é bastante comum, essencialmente para as tarefas relacionadas ao controle de qualidade. Encontrada no mercado sob várias especificações técnicas, vale ressaltar que para garantir a qualidade de uma balança são necessárias algumas medidas preventivas, as quais costumam causar dúvidas entre os usuários, como a diferença entre verificação, calibração e ajuste de balanças.

Em vista disso, com o intuito de esclarecer mais sobre o assunto, preparamos um conteúdo explicando tudo acerca de verificação, calibração e ajuste de balanças, bem como a importância destas medidas para o desempenho de uma balança. Acompanhe!

A importância de verificar as condições das balanças

Seja qual for o local de aplicação de uma balança, uma vez que este equipamento esteja funcionando com avarias, erros de medição serão inevitáveis, os quais poderão acarretar em prejuízos financeiros e inclusive riscos para a saúde.

Para exemplificar, imagine um laboratório que trabalha com remédios manipulados. Neste caso, o processo de medição dos elementos químicos que compõem os remédios precisa ser realizado com uma balança de precisão extremamente confiável, até porque, um pequeno equívoco em uma medida de massa já pode ser capaz de alterar por completo a eficácia do medicamento.

Já na indústria um erro de uma balança poderá gerar prejuízos financeiros enormes para uma empresa alimentícia. Como exemplo, é só avaliarmos uma situação onde uma empresa tem em sua linha de produção uma balança que mede massas para menos, ou seja, a cada produto vendido há uma pequeno prejuízo embutido.

O conceito de verificação de balança

De acordo com o VIM (Vocabulário Internacional de Metrologia) a verificação de um equipamento de medição é feita através do “fornecimento de evidência objetiva de que um dado item satisfaz requisitos especificados”(VIM 2.44). No caso da balança seria, por exemplo, a confirmação de que as propriedades relativas ao desempenho do equipamento são satisfeitas, ou seja, se a balança está pesando corretamente. Isto pode ser feito utilizando-se pesos padrão comparando-se o valor indicado com o valor do peso de referência.

Vale destacar ainda que a verificação intermediária é uma boa prática realizada pela própria empresa para garantir a eficácia dos seus processos de pesagem e consequentemente diminuir ou eliminar a probabilidade de exposição ao risco.

Por que é importante verificar uma balança?

A verificação de um equipamento de medição é importante para averiguar se há alguma variação significativa durante o seu processo de medição, não precisando desta forma esperar pela próxima etapa de calibração. Assim, se na verificação for constatada uma diferença considerável entre o resultado de medição atual e os que foram obtidos no último certificado de calibração, a balança nos indica que não está apta para funcionamento.

Quais são as faixas e padrões?

A verificação da balança faz mais sentido na faixa de valores que o equipamento costuma trabalhar. Exemplificando, um laboratório que pesa um componente químico na faixa de 50 gramas até por volta de 100 gramas precisará se preocupar em verificar a sua balança apenas nesta faixa, pois, é neste intervalo de peso que o seu processo é afetado.

Importante pontuar que: caso a balança seja utilizada em toda a sua escala de pesagem, o ideal é que a verificação seja feita com peso padrão em pelo menos 5 a 6 pontos entre a carga mínima e carga máxima.

O conceito de calibração de balança

Também, de acordo com o VIM, a calibração é a “operação que estabelece, sob condições especificadas, numa primeira etapa, uma relação entre os valores e as incertezas de medição fornecidos por padrões e as indicações correspondentes com as incertezas associadas; numa segunda etapa, utiliza esta informação para estabelecer uma relação visando a obtenção dum resultado de medição a partir duma indicação.” (VIM 2.39).

Em outras palavras, é um procedimento que compara os valores de um peso padrão de referência e a indicação obtida na balança calibrada.

Por que é importante calibrar uma balança?

Há vários fatores que justificam a relevância em calibrar uma balança, os principais são:

  • garantir que os pesos dos produtos comercializados estejam corretos;
  • assegurar que a balança forneça resultados de pesagem confiáveis;
  • evitar possíveis fraudes e práticas de desvio com base na leitura errada de uma balança;
  • atestar a qualidade dos produtos;
  • evitar que o estabelecimento receba multas e penalizações fiscais;
  • identificar possíveis cenários de desgaste do equipamento de medição.

O conceito de ajuste de balança

Uma vez que é constatado erro de leitura em uma balança durante os processos de verificação ou calibração, após averiguação da possível causa, é necessário fazer o ajuste da balança, isto é, fazê-la indicar a medida correta.

Como é feito o procedimento de ajuste?

Quando o procedimento de verificação e calibração são feitos e a balança apresenta um erro de medição acima das tolerâncias permitidas, é necessário realizar um ajuste para que este erro diminua ou seja eliminado. Para isso, basta referenciar a balança com um peso padrão calibrado (o qual já se sabe com exatidão o seu valor de massa) e cujo erro é três vezes menor que a resolução da balança. Em seguida, é preciso comparar o valor indicado pela balança com o valor real do peso padrão, para identificar se o erro de medição está dentro das tolerâncias pré estabelecidas. 

Para exemplificar, imagine um peso padrão de 500 gramas sendo colocado para ser pesado em uma balança que apresenta erro de leitura. Supondo que o valor indicado pela balança seja de 508 gramas, percebemos que esse equipamento de medição precisa ser ajustado em – 8 gramas, já que sua leitura está acima do erro máximo permitido.

Erro máximo permitido para balanças

A Portaria do Inmetro nº 236/94 é a responsável por determinar as diretrizes acerca da fabricação, manutenção e utilização de balanças no Brasil. Deste modo, para entendermos sobre o erro máximo permitido para balanças, é preciso analisarmos sobre a classe de exatidão a qual ela pertence.

Classe I

Para esta classe os erros permitidos são:

* ± 0,5 “e” para 0 ≤ m ≤ 50.000;

* ± 1,0 “e” para 50.000 < m ≤ 200.000;

* ± 1,5 “e” para 200.000 < m.

Para as cargas “m”, expressas em valores de divisão de verificação “e” 

Onde “e” é a divisão de verificação (valor encontrado na placa de identificação da balança).

Classe II

Para a classe II, a margem de erro é:

* ± 0,5 “e” para 0 ≤ m ≤ 5.000;

* ± 1,0 “e” para 5.000 < m ≤ 20.000;

* ± 1,5 “e” para 20.000 < m ≤ 100.000.

Classe III

Para as balanças classificadas como classe III a margem de erro é de:

* ± 0,5 “e” para 0 ≤ m ≤ 500;

* ± 1,0 “e” para 500 < m ≤ 2.000;

* ± 1,5 “e” para 2.000 < m ≤ 10.000.

Classe IIII

Por fim, para as balanças de classe IIII o erro permitido é de:

* ± 0,5 “e” para 0 ≤ m ≤ 50;

* ± 1,0 “e” para 50 < m ≤ 200;

* ± 1,5 “e” para 200 < m ≤ 1.000.

Exemplo prático

Dados da balança:

  • Capacidade máxima: 5 kg
  • Resolução (d): 0,01 g
  • Valor de divisão de verificação (e): 0,1 g
  • Classe de exatidão: II

Portanto, para a balança acima, sendo da classe II, os erros máximos permitidos são:

+/- 0,05 g no intervalo de 0 g < m ≤ 500 g

+/- 0,10 g no intervalo de 500 g < m ≤ 2000 g

+/- 0,15 g no intervalo de 2000 g < m ≤ 10000 g

Onde encontrar serviços para balanças?

Portanto, agora que você já sabe qual é a diferença entre verificação, calibração e ajuste de balanças, fica mais simples de entender o quão relevante essas medidas são para assegurar a qualidade deste equipamento. Além disso, vale ressaltar que por se tratar de importantes medidas preventivas, este tipo de serviço jamais deverá ser classificado como um custo ou gasto desnecessário, mas sim como um investimento.

Está procurando por balanças e serviços de manutenção e calibração? Entre em contato conosco e conheça todas as vantagens que a KN Waagen consegue oferecer para seus clientes!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-